Posts Destacados
Posts Recentes
Siga
  • Facebook Long Shadow
  • Google+ Long Shadow
  • Twitter Long Shadow
  • LinkedIn Long Shadow

ANO TERMINA COM ESTABILIDADE NAS EXPORTAÇÕES DE CALÇADOS

CALÇADOS-53.jpg

Amargando quedas em quase todo o ano passado, os exportadores de calçados puderam comemorar um incremento de 10% no comparativo com igual mês de 2013

O último mês de 2014 reservou uma notícia positiva para os calçadistas brasileiros. Amargando quedas em quase todo o ano passado, os exportadores de calçados puderam comemorar um incremento de 10% no comparativo com igual mês de 2013, alcançando US$ 119,25 milhões em pares embarcados para o exterior. Por outro lado, a recuperação não foi suficiente para reverter o quadro de queda no acumulado, que ficou em 2,6%. No ano passado foram exportados 129,5 milhões de pares por US$ 1,067 bilhão, cerca de US$ 30 milhões a menos do que em 2013. Em pares, porém, a recuperação foi positiva em 5,4%. A explicação da diferença passa pela queda de 7,5% no preço médio do produto embarcado, que ficou em US$ 8,24.

Para o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, o ano registrou um “empate técnico” devido ao desempenho melhor nos embarques de dezembro. Segundo ele, contribuiu para o desempenho positivo no último mês do ano passado o câmbio mais favorável para a formação de preços competitivos e a recuperação gradual de alguns dos principais mercados para o calçado nacional, com destaque para os Estados Unidos. “A valorização da moeda norte-americana, se confirmada em 2015, deve melhorar os níveis dos embarques”, projeta o executivo, acrescentando que a Couromoda, feira que será realizada em São Paulo entre 11 e 14 de janeiro, deverá servir como um termômetro para o ano que inicia.

Destinos

No ano passado os norte-americanos compraram 11,85 milhões de pares verde-amarelos, o equivalente a US$ 193,67 milhões, 2,2% mais do que o registro do ano passado. Somente em dezembro, foram exportados 1,45 milhão de pares para lá, o equivalente a US$ 19,77 milhões, 8% mais do que no mesmo mês de 2013.

Depois dos Estados Unidos, o principal mercado para o calçado brasileiro ao longo de 2014 foi a Argentina. Apesar das barreiras impostas e da crise que se agiganta no país vizinho, foram embarcados para lá 7,66 milhões de pares que geraram US$ 81,68 milhões, 31,3% menos do que em 2013. No mês de dezembro, a Argentina ficou colocada como décimo destino do produto brasileiro, com a compra de pouco mais de 216 mil pares, 24,5% menos do que em dezembro de 2013. “No mercado externo, certamente, a Argentina foi o nosso pior revés ao longo de 2014”, avalia Klein.

O terceiro destino de 2014 foi a França, que comprou 8,9 milhões de pares por US$ 70,1 milhões, registrando um leve incremento de 0,5% ante 2013. Em dezembro, os franceses, que ocuparam o tradicional lugar da argentina, a segunda posição, compraram mais de 1 milhão de pares por US$ 11,36 milhões, 8,2% mais do que no mesmo mês do ano anterior.

Estados

Tradicional exportador de calçados de maior valor agregado, o Rio Grande do Sul encerrou o ano contabilizando 17,96 milhões de pares embarcados somando US$ 387 milhões em exportações – mesmo número de 2013. O segundo principal exportador foi o Ceará de onde foram remetidos 56,3 milhões de pares por US$ 310,6 milhões, queda de 1,4% frente a 2013.

Único resultado positivo entre os principais exportadores de calçados, São Paulo vendeu 11,7 milhões de pares por US$ 145 milhões, 0,4% mais do que em 2013.

O destaque do ano passado foi Minas Gerais. Mais de 4,8 milhões de pares mineiros geraram US$ 25,68 milhões, 40,4% mais do que em 2013.

Importações

Em alta desde 2010, as importações acompanharam a tendência de desaquecimento interno no varejo de calçados – que deve cair em torno de 1% até dezembro. No ano passado entraram no Brasil 36,8 milhões de pares por US$ 561,28 milhões, queda de 1,9% no comparativo com 2013. As principais origens do produto importado foram o Vietnã (US$ 323,47 milhões, alta de 8,2% ante 2013); Indonésia (US$ 111,83 milhões, queda de 2,3%); e China (US$ 53 milhões, queda de 11,7%).

Balança comercial

Com as quedas nas exportações e importações de calçados, a balança comercial fechou com um superávit de US$ 505,9 milhões, 3,2% menor do que o registro de 2013.

Fonte: http://www.exportnews.com.br/2015/01/ano-termina-com-estabilidade-nas-exportacoes-de-calcados/


Procure por Tags
Nenhum tag.